Instituto Justiça Fiscal – IJF participa da 14th EADI General Conference em Bonn, na Alemanha

cropped-NEW2_Logo-Header-Wordpress-Copy-changed-titleA décima quarta edição da conferência, que é promovida de três em três anos pela EADI – European Association of Development Research and Trainig Institutes, teve como tema central o desenvolvimento responsável em um mundo policêntrico: desigualdade, cidadania e classe média, e realizou-se no Gustav-Streseman-Institut- GSI, na cidade de Bonn, Alemanha, entre os dias 23 e 26 de junho de 2014.

 

Segundo a presidente da EADI, Isa Baud, o desenvolvimento responsável em um mundo policêntrico, com foco nas classes médias emergentes, está em consonância com os novos modelos de desenvolvimento de iniciativa dos países BRIC (Brasil, Rússia, China e Índia), especialmente o Brasil, cujas políticas sociais contribuem para a redução das desigualdades de renda e, portanto, estão desempenhando um importante papel na arquitetura mundial.

 

O IJF, representado por sua vice presidente Maria Regina Paiva Duarte, participou de um painel sobre a temática tributária realizado pelo Vienna Institute for International Dialogue and Cooperation  – VIDC, intitulado “Walking the Talk in Fighting  Tax Evasion and Tax Avoidance: Is a New International Tax Regime Emerging?”, juntamente com Alex Cobham, representando o Center for Global Development in Europe, do Reino Unido e Markus Meinzer, da Tax Justice Network da Alemanha.

 

Para Martina Neuwirth, membro do VIDC e responsável pela organização do painel, discutir desenvolvimento e redução de desigualdades a partir de iniciativas dos países emergentes passa, necessariamente, pela discussão sobre a tributação nesses países, pois esta se constitui em um dos mais importantes instrumentos para diminuir as desigualdades.

 

O painel teve como objetivos principais abordar a importância da tributação, a diferença entre a evasão e a elisão fiscal e a área nebulosa que as circunda, bem como discutir mecanismos que confiram maior transparência aos fluxos financeiros mundiais, a importância da troca de informações tributárias entre os países e as reformas a serem promovidas pela OCDE a partir do programa BEPS (Base Erosion and Profit Shifting), as quais poderão contribuir para que grandes companhias internacionais paguem de forma correta e justa seus tributos. Maiores informações sobre o painel podem ser obtidas no endereço http://www.gc2014.org/sessions/ps/060608-2/.

 

A elevada taxação do consumo em relação à renda e da propriedade, a distribuição da carga tributária no Brasil, que é bastante regressiva – quem ganha menos paga proporcionalmente mais, o papel da tributação na redução das desigualdades e os avanços em termos de tributação internacional e de fiscalização de preços de transferência foram os principais temas abordados pelo IJF.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: