Por que o trabalhador paga Imposto de Renda e o capitalista, não?

Um trabalhador assalariado que ganha R$ 5.000,00 por mês paga R$ 15.776,05 de Imposto de Renda por ano.

Um rentista, ou seja, uma pessoa que receba rendimentos do capital, na forma de dividendos ou distribuição de lucro do seu capital, e que receba os mesmos R$ 5.000,00 por mês, em um ano não pagará nada de Imposto de Renda.

Afinal, qual a diferença entre receber renda do trabalho ou do capital? Por que o trabalhador paga Imposto de Renda e o capitalista, não?

Considerando que normalmente o rendimento do capital é maior do que o rendimento do trabalho, podemos afirmar que as maiores rendas são isentas enquanto as menores são tributadas.

A falta de isonomia de tratamento tributário entre as rendas em função de sua origem é fator de INJUSTIÇA FISCAL.

Anúncios

9 Respostas

  1. A grande tarefa que temos, em busca da Justiça Fiscal, é justamente deixar estas diferenças claras aos olhos do cidadão comum, pois ele é facilmente envolvido na cantilena do “chega de tanto imposto”, mas não sabe quem não paga nada.

  2. Se um rentista é cobrado pelo que ganha por destinar sua propriedade para uso de terceiros, os terceiros irão pagar para o rentista a mais para repor o que o rentista perdeu por ter pago impôsto.

    Se é justo cobrar impôsto para “igualar as rendas” – a tal da justiça fiscal – então é MAIS JUSTO que não haja a propriedade privada para ser alugada: justiça fiscal para TODOS.

    Mas também não haveria razão para haver salário – sem salário, sem impostos – justiça fiscal para todos.

    Se não houver salários não haverá empregador – não haverá empresa – e tudo será produzido pelo Estado e distribuído para todos – justiça fiscal para todos.

    … creio que já vi êste filme, mas se você ainda não viu, recomendo: http://www.SovietStory.com.

    O fato de um pagar mais que o outro não é significativo, mas o VALOR SOCIAL DA PROPRIEDADE sim, pois o rentista poderia, simplesmente, ter um trabalho de R$ 5.000,00 e NÃO ALUGAR a propriedade, isto é, um outro “trabalhador” ficaria SEM CASA – NÃO TERIA SEU DIREITO À MORADIA ATENDIDO – enquanto o rentista poderia morar em vários lugares e poderia trocar de trabalho, tendo mais chances de aumentar sua renda, pois não teria problema de residir longe do trabalho, por exemplo, e aumentar o impacto do transporte público sôbre o salário que receberia do empregador.

    O que você pensa quando vai empregar uma doméstica? Onde ela mora, pois a passagem é mais cara ou mais barata e você paga mais ou menos.

    Assim, quando um rentista aluga sua propriedade para um trabalhador agrega ao valor venal de sua propriedade o VALOR SOCIAL DA PROPRIEDADE na medida em que diminui o número de pessoas sem casa.

    Sob o ponto de vista do Estado, qual o custo de oportunidade do valor da casa própria para o Estado construir uma para cada cidadão e qual o custo real para o Estado se a propriedade privada auto-regulada ofertar a demanda da sociedade?

    Por isto é IMPOSSÍVEL fazer planejamento central em qualquer ramo da economia.

    Cinco mil não têm o mesmo significado na mão de um trabalhador e de um agente de mercado pelo simples fato que no mercado o agente econômico AGREGA valor ao dinheiro, ao passo que no salário o trabalhador já agregou valor ao TRABALHO.

    O valor agregado ao trabalho se esgota no trabalhador mas o valor agregado ao dinheiro se reproduz.

    Como as responsabilidades são diferentes, entre o trabalhador e o empregador, assim como para o rentista, esta responsabilidade “a mais” – a mais-valia da responsabilidade – deve ser remunerada pelo mercado, ou todos irão trabalhar pela mesma responsabilidade, isto é, não haverá ninguém para assumir um trabalho diferente, MAIS responsável.

    Como todos os trabalhos têm posições relativas de responsabilidades diferentes – é o mercado – alguém TEM de assumir uma responsabilidade MAIOR E SER REMUNERADO POR ISTO.

    É por esta razão que não existem classes sociais ou conflito de classes, na medida em que as responsabilidade são diferentes e as CAPACIDADES de assumir tais responsabilidades também são diferentes e tais capacidades não criam uma classe social.

    É por isto que o COMUNISMO (SOCIALISMO) É ESSENCIALMENTE CORRUPTO.

    Porque os INCAPAZES QUEREM TER OS MESMOS DIREITOS QUE OS CAPAZES.

    Por isto o mercado é o lugar onde alguém que tem algo para oferecer espera que alguém tenha um uso para o que oferta.

    Se não tiver, acumula o prejuízo de não ter vendido nada e o tomador não teria gasto tal quantia.

    Assim, o mercado se auto-regula.

    Por isto a intervenção do Estado – govêrno – na economia é danosa para todos porque todos ficam impedidos de fazer seu melhor para o equilíbrio da oferta e da procura na medida em que devem satisfazer as imposições do Estado, ao invés de se ocuparem em satisfazerem suas próprias necessidades.

  3. O rentista não paga imposto de renda? E os 20% sobre os lucros? E o IR da PJ? Não entendi…

  4. Caro Márcio (Equipe Linux),

    Você está aí escrachando o comunismo, mas pelos atuais acontecimentos, parece que a intervenção mínima do Estado também está “dando merda”.
    O capitalismo também é extremamente corrupto. Vide a força dos banqueiros junto aos governos.
    Com uma coisa você talvez concorde:

    NO BRASIL, OS MAIS POBRES PAGAM MAIS IMPOSTO (PROPORCIONALMENTE Á RENDA) QUE OS MAIS RICOS, dada a regressividade dos impostos.

    Isto, para mim, é o problema número 1 do Brasil.

    Felicidades.

  5. Caro Luís,

    Ou me expliquei mal ou você não entendeu.

    O capitalismo não é corruPTo porque a corrupção somente ocorre quando há PODER, e não há PODER fora do Estado.

    Se você pode escolher entre o tribunal do trabalho do governo e um dos cinco tribunais do trabalho privados você vai escolher aquele que tem o melhor cartel de profissionais para DEPOIS escolher o melhor preço. A não ser que você seja completamente burro.

    Assim, não há corrupção.

    Mas tal coisa não acontece porque o Estado é o ÚNICO a exercer PODER, e é isto que corrompe.

    No âmbito da iniciativa privada chama-se CONCORRÊNCIA.

    Entrar no mérito da questão da moralidade ou não da concorrência (se é predatória ou não) é outro assunto, e podemos falar sobre isto DEPOIS de você me explicar http://www.EscandaloDoMensalao.com.br.

    Adianto que citar o livro da privataria é mais uma prova de corrupção no âmbito do Estado, pois o livro é literalmente patrocinado pelos corruPTos e NÃO ESTÁ DISPONÍVEL GRATUITAMENTE NA INTERNET, para o “comunista” se financiar à custa do dinheiro do “trabalhador” (criminoso, que é onde você encontra o “trabalhador”, na coluna de polícia e nos tribunais à espera de julgamento por corrupção”.

    Já que você lembrou a fôrça dos banqueiros junto aos governos, no governo (se é que você pode chamar de governo a roubalheira instituída pelos criminososlhadores) dos corruPTos os banqueiros tiveram lucros nunca antes vistos nesse País.

    Mas porque você não rebateu nenhum dos argumentos que citei?

    Jogou pedra com um “argumento” que não diz nada?

    Porque você não cita o salário mínimo do crime organizado, que é maior do que o salário mínimo do trabalhador – os corruPTos dizem que um presidiário é um “trabalhador” em situação especial – e que incita o crime organizado?

    Para uma mulher é mais vantagem casar com um criminoso, com quem tenha um filho. O trabalhador comete um crime, é preso, tem defesa gratuita – paga pelos que trabalham mas não cometem crime – vai para uma penitenciária onde terá máxima segurança pessoal – afinal, são todos trabalhadores lá -, casa, comida, roupa lavada, trabalho, salário (que tem de ser o mínimo, afinal), visita conjugal para fazer MAIS um filho e assim garante um salário maior do que o mínimo: “A média do INSS paga às famílias de apenados com direito ao benefício foi de R$ 506,65 em dezembro de 2009. No entanto, os valores oscilam de acordo com a contribuição de cada presidiário no período anterior à detenção. Em janeiro deste ano, por exemplo, a maior média foi de R$ 981,15, no Amazonas.

    Polêmica sem rosto

    O Terra não conseguiu encontrar juristas que fossem declaradamente contrários ao auxílio-reclusão. Porém, de tempos em tempos surgem na internet e-mails apócrifos criticando a iniciativa.

    “Você sabia que todo presidiário com filhos tem uma bolsa de R$752,12 para sustentar a família, pois o coitadinho não pode trabalhar para sustentar os filhos pois está preso?”, diz o trecho de um destes e-mails. O benefício também é chamado pejorativamente de “bolsa-marginal” e “auxílio-ladrão”, entre outros nomes desqualificativos.”

    “O Portal Terra publicou uma matéria em 2009 afirmando que os familiares dos presos receberam, em média, R$ 586,51 em junho. Esse valor estava acima do que era pago, na época, como salário-maternidade, de R$ 519,01, também em média.
    De acordo com o Boletim Estatístico da Previdência Social (Beps), o INSS pagou 26.490 benefícios de auxílio-reclusão na folha de janeiro de 2010, em um total de R$ 15.587.580,00. O valor médio do benefício por família, no período, foi de R$ 588,43.
    Valor médio pago foi bem maior que o do salário mínimo na época! Pelo menos essa parte do texto apócrifo é verdadeiro…”

    Vai ver, o texto é apócrifo porque um jurista não pode se identificar por razões óbvias …

    Quanto à “a intervenção mínima do Estado também está “dando merda”.”, onde é que você um país assim?

    No Brasil o Estado intervém na economia desde a fundação em 1500.

    Se a economia está como você diz é JUSTAMENTE PORQUE O ESTADO INTERVÉM, pois o preço do Estado interventor é totalmente repassado para os produtos e serviços apresentados no MERCADO pela iniciativa privada constrangida pela intervenção, a CUSTOS MAIORES PARA PAGAR O ESTADO INTERVENTOR.

    Vê-se logo que você não entende a diferença entre MERCADO e Estado.

  6. A prova da má fé dos que defendem aumento de impostos para a RENDA e para o CAPITAL e NEGAM O IMPOSTO SOBRE O CONSUMO é que todo o dinheiro em circulação vai para o CONSUMO.

    Então o imposto cobrado na produção – na empresa e no salário e renda dos mais ricos – vai para os preços de produtos e serviços, que os de baixa renda CONSOMEM.

    Se o imposto é sobre o consumo e é pequeno TODOS pagam e a arrecadação aumenta.

    O argumento de que o imposto sobre o consumo atinge MAIS a renda baixa é a desculpa para MANTER A RENDA BAIXA E ASSIM JUSTIFICAR defender a renda baixa do imposto.

    No LIBERALISMO ECONÔMICO a renda tende a aumentar pois a base de consumo aumenta e a arrecadação aumenta.

    A prova disto é que o desgoverno dos corruPTos usa alíquotas de imposto PARA BAIXO justamente para aumentar o CONSUMO, e sempre de produtos de alto valor agregado de tecnologia – embarcada – que VEM DE FORA, aumentando a transferência de renda para o exterior e NÃO INVESTINDO UM CENTAVO NA PRODUÇÃO DA MESMA TECNOLOGIA NO BRASIL.

    Dá uma bolsa família, bolsa gás, bolsa presidiário e mantém o gado quieto …. vida de gado … povo feliz…

    …. flácidas tertúlias para dormitar bovinos. …

    O certo – pelo menos para os LIBERAIS – é NÃO TER IMPOSTO SOBRE A RENDA, SOBRE O SALÁRIO E SOBRE O FATURAMENTO DAS EMPRESAS, pois se o imposto ficar somente no consumo TODOS pagarão o imposto.

    Não significa que o feijão tenha de ter o MESMO imposto do salmão.

    Não só os itens essenciais à sobrevivência deveriam ter alíquotas MUITO menores – NUCA SEM IMPOSTO – como impostos específicos para a sustentação da UF e da UNIÃO poderiam existir.

    Explique aí porque o trabalhador não recebe, afinal, o 13º salário?

    Vocês, comunistas, MENTEM quando dizem que dão o 13º salário, pois isto não existe.

    Se dividir 13 salários por 52 semanas – 1 ANO – vai dar o mesmo valor, Não há o 13º salário.

    Porque os sindicalistas não exigem o pagamento do salário a cada sexta-feira, EM DINHEIRO, para fugir da exploração dos bancos?

    Porque os sindicalistas não criam COOPERATIVAS DE CRÉDITO PARA CADA CATEGORIA DE TRABALHADORES?

    Porque os sindicalistas não criam COOPERATIVAS DE TRABALHO PARA OS TRABALHADORES?

    Porque simplesmente os trabalhadores NÃO PRECISARIAM MAIS DOS SINDICALISTAS.

    E NÃO PRECISAM AGORA, MAS NÃO SABEM PORQUE OS corruPTos escondem a verdade dos trabalhadores.

    CONCLUSÃO

    NÃO EXISTEM SINDICALISTAS NO BRASIL.

    NÃO EXISTEM SINDICATOS NO BRASIL.

    MAS TODOS QUEREM MAMAR NO TROUXA DO TRABALHADOR.

    … e a copa do mundo, quanto já está custando ?

    ISTO É GOVERNO, ISTO É IMPOSTO INJUSTO, ISTO É INJUSTIÇA FISCAL PARA TODOS.

  7. Ridiculo, o papel que nós passamos diante de todos esses impostos..
    adorei esse video link http://www.temporadafora.com/vlog/impostos fala exatamente do assunto abordado na postagem

  8. Poderiam fazer um tópico ensinando como ter sanidade, ou melhor, como não enlouquecer, ou talvez não devamos reprimir o sentimento da injustiça que nos deixa no limiar da explosão, talvez devamos ficar loucos mesmo, loucos com razão, isto se chama revolução.

  9. Quanto ao rendimento do capital, tratar a renda do proprietário (não existe o tal “capitalista”, o termo foi apropriado pelo Mensaleiro-mor Marx, de um livro de um inglês sobre suas viagens à França nos idos de 1780) da mesma maneira com que trata o salário de um trabalhador é desconsiderar a realidade do mercado e da economia para implantar uma “igualdade” que só existe nas mentes doentias dos “marxistas/marxianos”.
    Vamos analisar a bobagem marxista em “Considerando que normalmente o rendimento do capital é maior do que o rendimento do trabalho, podemos afirmar que as maiores rendas são isentas enquanto as menores são tributadas”. O rendimento da renda e do salário não são da mesma natureza para poder comparar sua ação econômica. A renda do proprietário está livre para gerar nova vaga de trabalho, já o salário do trabalhador É a nova vaga de trabalho, que NUNCA poderia ser criada a partir de outro salário. Só aí já se vê porque não há imposto na renda (e há, e é muito alto, pois deprime o custo de oportunidade de criar nova vaga de trabalho na economia) e porque não se pode comparar renda com salário.
    O erro está em considerar JUSTA a cobrança de impostos (uma apropriação indébita de dinheiro de terceiros a partir de juízos de valor sobre ideias de dois séculos atrás obtida por meio do uso da violência do Estado contra a pessoa), pois não deveria haver nenhum imposto sobre a renda, o lucro ou o salário. Pois todo este imposto deprime a produtividade do fator de produção que gera a renda, o salário e o lucro que estarão sendo taxados. Mais taxas sobre os fatores de produção, menor produção ao mesmo custo e menor produção total, pois o lucro TEM DE PERMANECER O MESMO OU AUMENTAR, pois é do LUCRO que vem a capacidade de criar nova vaga de trabalho.
    Socialistas não vêem o MERCADO, simplesmente isto. Não pertence à dimensão em que os socialistas vivem.2
    Terceira Dimensão? Só existem duas: o proletário e o capitalista.3
    Talvez a ciência esteja errada em provar que a Terra é redonda (simplificando para fins de debate), que as espécies evoluem e que o INÍCIO é DESCONHECIDO.
    Talvez um comunista corruPTo “se evolua” para um “social-liberal”. O importante é não perder a “boquinha.gov”.
    2. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=GF_4J-hq0FI/.
    3. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=dQAUs87pHb8/.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: